17 de maio de 2018 às 12:09

Cientistas descobrem como a melatonina trabalha para nos deixar com sono

Dormir bem é um sonho que nem todo mundo consegue alcançar. Uma pesquisa feita pelo Instituto Brasileiro do Sono mostrou que 63% dos brasileiros têm algum problema relacionado ao sono. Para tentar fechar os olhos e conseguir, enfim, adormecer, muita gente

Dormir bem é um sonho que nem todo mundo consegue alcançar. Uma pesquisa feita pelo Instituto Brasileiro do Sono mostrou que 63% dos brasileiros têm algum problema relacionado ao sono. Para tentar fechar os olhos e conseguir, enfim, adormecer, muita gente aposta em suplementos de melatonina.

A melatonina é o hormônio do sono, sua função é preparar nosso corpo para o descanso. Mas como ela trabalha no organismo para promover o sono ainda era um mistério. Porém, pesquisadores da Universidade de Missouri (EUA) descobriram como a substância suprime os neurônios no cérebro que mantêm você acordado e em alerta.

A ideia é que a novidade possa ser explorada para criar terapias para pacientes que sofrem de insônia.

“Nós, como sociedade, estamos perdendo o sono porque estamos trabalhando demais. Isso está causando uma série de problemas de saúde”, disse o professor responsável pelo estudo, Mahesh Thakkar. "Muitas vezes, não pensamos em dormir ou consideramos dormir algo importante. No entanto, não há nada mais importante do que o sono. Precisamos nos concentrar em terapias que podem nos ajudar a ter um sono de qualidade, não apenas dormir", completou.

Analisando ratos, os cientistas notaram que quando a melatonina foi colocada no cérebro dos animais à noite --momento em os roedores, que são animais noturnos, estão acordados e ativos --, eles tinham aumento de sono e redução de vigília, os neurônios responsáveis por acordar o cérebro eram suprimidos.

Além disso, bloquear os receptores de melatonina no cérebro na hora de dormir aumentou significativamente a vigília dos bichos. 

As percepções podem parecer óbvias, uma vez que já sabemos que a melatonina causa sono, mas os pesquisadores também conseguiram identificar em qual receptor a melatonina age inibindo neurônios específicos do despertar. O responsável por dar este poder ao hormônio do sono é o receptor MT1.

Atualmente, os remédios visam múltiplos receptores para garantir o sono dos pacientes. Mas com essa informação é possível criar medicamentos que visem o controle do MT1 para os que precisam dormir, potencializando os resultados.

"A melatonina tem sido usada como droga para dormir por muitos anos, mas as pessoas não sabiam como isso funcionava", disse Thakkar. "Nossa pesquisa sugere que, se você direcionar o receptor de melatonina MT1, você terá mais sono com efeitos colaterais mínimos".

VIVABEM NAS REDES SOCIAIS
Facebook • Instagram • YouTube

Fonte: UOL

comentários

| Rádio Guarujá AM 1550 kHz'); }
Estúdio Ao Vivo