16 de maio de 2018 às 19:10

Estudo identifica relação entre problema de tireoide e tendência suicida

Um novo estudo, publicado na Archives of Clinical Psychiatry, revista de psiquiatria da Faculdade de Medicina da USP, comparou pacientes com histórico de atitudes suicidas a pessoas que nunca tiveram qualquer ideia de se matar.

Um novo estudo, publicado na Archives of Clinical Psychiatry, revista de psiquiatria da Faculdade de Medicina da USP, comparou pacientes com histórico de atitudes suicidas a pessoas que nunca tiveram qualquer ideia de se matar.

Os autores perceberam que alguns indivíduos com comportamento suicida apresentavam um mal funcionamento da tireoide, supondo-se assim uma relação desses fatores. A pesquisa foi realizada no Instituto de Saúde Mental de Punjab e no Centro de Medicina Nuclear do Mayo Hospital em Lahore, ambos no Paquistão.

Para o estudo, foram selecionados pacientes com história pregressa de tentativa de suicídio ou ideação suicida atual para análise do estado da função tireoidiana, com idade entre 15 e 55 anos. Os resultados mostraram que essas pessoas apresentam maior incidência de distúrbio tireoidiano e menor nível do hormônio T3, em comparação com pacientes psiquiátricos não suicidas.

Muitas vezes apontada como culpada pelo ganho de peso, a tireoide é uma pequena glândula que fica no pescoço, na região do gogó. Ela produz hormônios que regulam processos fisiológicos do corpo inteiro, inclusive do coração, cérebro e pulmão. Pode deixar o metabolismo rápido ou devagar demais, levando, por exemplo, a uma parada cardíaca pela aceleração do hipertireoidismo ou pela falta de estímulo no hipotireoidismo. O hipertireoidismo costuma ser mais veloz e agressivo, enquanto o hipo é mais gradual e lento.

O diagnóstico de problemas na tireoide não é difícil. Ele pode ser obtido em uma consulta e confirmado com exames de sangue. A doença geralmente é hereditária, afeta mais as mulheres e acontece em qualquer idade. O tratamento tanto do hiper quanto do hipotireoidismo é feito com medicamentos.

VIVABEM NAS REDES SOCIAIS
Facebook • Instagram • YouTube

Fonte: UOL

comentários

| Rádio Guarujá AM 1550 kHz'); }
Estúdio Ao Vivo