12 de maro de 2018 às 17:40

Fiat Toro vendeu muito em 2017 mesmo custando R$ 84 mil; assista avaliação

Dependo da região do Brasil, picape custa a partir de R$ 90.990

Na avaliação desta segunda -feira (12) UOL Carros vai mostrar por que a Fiat Toro foi um dos fenômenos de vendas em 2017, com 50.723 unidades -- apenas 4 mil a menos que a Strada, grande líder entre todas as picapes.

Qual motivo para tanto sucesso?

O primeiro fato a ser considerado é de que a Toro ocupa a posição do "carro médio" da Fiat e compete diretamente no mercado com SUVs e sedãs. A segunda é o lance aspiracional que a picape ostenta, principalmente pelo design  inovador -- sabe aquele lance em que você coloca a emoção na frente da razão na hora de preencher o cheque? É justamente isso.

+ Inscreva-se no canal de UOL Carros no Youtube
+ Instagram de UOL Carros
+ Siga UOL Carros no Twitter
+ Quer negociar hatches, sedãs e SUVs? Use a Tabela Fipe

A Toro custa a partir de R$ 83.900 em diversos Estados brasileiros -- em outros, o valor de entrada pode chegar a R$ 90.990.

Por este preço você leva para casa uma picape compacta-média espaçosa e toda bonitona, mas que usa o mesmo motor 1.8 de carros compactos da Fiat e que se mostra fraco para o peso do carro -- uma Toro pesa mais de 1.600 kg e pode chegar a 2 toneladas se houver cinco pessoas a bordo.

Isso influencia diretamente no desempenho e no consumo: faltam força e agilidade em ultrapassagens e a média apontada pelo computador de bordo foi de só 5,3 km/l na cidade e 8 km/l na estrada, ambos registrados com gasolina no tanque.

Além disso, o câmbio não conversa bem com o motor e tem respostas demoradas. Por conta da falta de torque, em determinados momentos ele pode segurar por muito tempo determinada marcha.

Além dessa "deficiência" mecânica, há outros pontos fracos: não é fácil achar um porta-objetos rapidamente no console, por exemplo. Ele tem apenas um porta-copos perto da manopla de câmbio e um compartimento perto do apoio de braço central -- os espaços nas portas são pequenos e os vãos que existem sobre a tela multimídia e o porta-luvas são praticamente inúteis.

Já o sistema Uconnect de geração anterior ao de Argo e Cronos tem tela muito pequena, de configuração e definição mais ultrapassada. Para um carro desse valor, poderia ser mais moderno, não é?

Outro ponto negativo: a Toro tem raio de giro curto, e isso pode exigir manobras adicionais no trânsito. Fora isso, o "bumbum" mais alto da picape atrapalha a visão pelo retrovisor. Também sentimos falta de equipamentos como botão de ignição, chave inteligente (sistema keyless para entrar e sair do carro sem precisar usar a chave) e de um freio de estacionamento eletrônico por botão, equipamentos que o "primo" Jeep  Renegade oferece de série. Toro é compacta-média: tem bom espaço para até cinco passageiros, mas raio de giro muito curto Imagem: Reprodução

Removendo esses pontos a picape é recheada de pontos interessantes. A começar pelo acabamento interno, bem revestido e com cuidado perceptível.

Fora isso, quando a caçamba possui capota marítima, a Toro não deve nada em espaço na cabine para sedãs e SUVs -- além do que são 820 litros de "porta-malas". Sim, há bom espaço para cinco adultos e ainda bom bagageiro para todos os ocupantes.

E sobre o design: embora beleza seja algo subjetivo, muita gente compra carro pelo desenho. E nós achamos a Toro elegante. A facilidade do manuseio da tampa da caçamba, com duas portas que se abrem como um "armário" (ao contrário de todas as outras picapes), é uma de suas principais proezas.

Fonte: UOL

comentários

| Rádio Guarujá AM 1550 kHz'); }
Estúdio Ao Vivo