04 de janeiro de 2018 às 02:00

Navio para 5.200 pessoas chega ao Brasil no fim do ano

A MSC inaugurou no último dia 21, em Miami (EUA), o navio Seaside, com capacidade para 5.179 passageiros. Primeiro de uma nova classe de embarcações, ele já está fazendo roteiros para o Caribe a partir da cidade americana e, em junho, ganhará um irmão, o

A MSC inaugurou no último dia 21, em Miami (EUA), o navio Seaside, com capacidade para 5.179 passageiros. Primeiro de uma nova classe de embarcações, ele já está fazendo roteiros para o Caribe a partir da cidade americana e, em junho, ganhará um irmão, o Seaview.

Idêntico à embarcação recém-inaugurada, o navio virá ao Brasil em dezembro para fazer a temporada 2018/2019. Seus cruzeiros sairão de Santos e serão divididos em roteiros de quatro noites pelo litoral do Sudeste e de sete pelo Nordeste. Será o maior navio de cruzeiros que o país já recebeu —a maior embarcação da temporada atual, o MSC Preziosa, comporta até 4.345 passageiros.

Tanto o Seaside quanto o Seaview têm uma passarela que contorna o barco, próxima ao nível do mar, com opções de lugares para comer e beber. São dez restaurantes e 20 bares, além de simulador de Fórmula 1, elevador panorâmico com vista para o mar, tirolesa e 11 tipos de cabines.

Segundo o diretor-executivo da MSC Cruzeiros, Gianni Onorato, o Seaview será adaptado aos horários dos brasileiros. As chegadas nos portos ocorrerão mais tarde que no Seaside, assim como as refeições, para um público que dorme e acorda tarde.

O navio também terá o sistema MSC for Me, aplicativo integrado a uma pulseira, que funciona como cartão para compras, chave e localizador. Telas espalhadas pela embarcação usam o sistema para indicar o melhor caminho ao passageiro perdido.

As cabines para a próxima temporada já estão à venda, por a partir de R$ 2.259 para o roteiro de quatro noites e R$ 3.729 para o de sete. Até abril, quem fizer a reserva recebe upgrade na acomodação e leva um segundo passageiro grátis na mesma cabine.

Onorato explica que a decisão de trazer o Seaview ao Brasil em um momento ainda fraco para os cruzeiros foi para consolidar a posição da empresa, que quer chegar a 65% de participação no mercado nacional em 2018.

A jornalista viajou a convite da MSC Cruzeiros

Fonte: FOLHA

comentários

| Rádio Guarujá AM 1550 kHz'); }
Estúdio Ao Vivo