13 de maro de 2018 às 18:34

PGR recorre contra decisão de Gilmar Mendes que proibiu condução coercitiva

A PGR (Procuradoria-Geral da República) recorreu nesta terça-feira (13) da decisão do ministro Gilmar Mendes, do STF (Supremo Tribunal Federal), que, em dezembro do ano passado, proibiu a condução coercitiva de investigados para interrogatório em todo o p

Crédito:Marcos Silva/Futura Press/Estadão Conteúdo

Marcos Silva/Futura Press/Estadão Conteúdo

A PGR (Procuradoria-Geral da República) recorreu nesta terça-feira (13) da decisão do ministro Gilmar Mendes, do STF (Supremo Tribunal Federal), que, em dezembro do ano passado, proibiu a condução coercitiva de investigados para interrogatório em todo o país.

No recurso, a procuradora-geral da República, Raquel Dodge, afirma que as leis brasileiras permitem o uso da condução coercitiva e que a prática não fere o direito dos investigados de se manterem em silêncio evitando produzir provas contra si mesmos.

Fonte: UOL

comentários

| Rádio Guarujá AM 1550 kHz'); }
Estúdio Ao Vivo