12 de julho de 2018 às 14:25

SÃ" NÃO VALE ESQUECER...

O assunto é futebol…
Hoje é o certo, amanhã é o errado.
O jogo permite esses altos e baixos.
O bom senso recomenda o esforço de não esquecer o que foi dito.
Reconheço que não é fácil…
E não é nenhum crime ou tragédia: a vida é movimento.
Quando a seleção brasileira ganhou o amistoso contra da Croácia, em Liverpool, por dois a zero , não foi pequena a dose de otimismo .
A volta de Neymar ocupou grande espaço e muitos incluiram a “liderança” do atacante na conquista da vitória.
Naquele momento o número de erros era “zero”.
A orquestra estava afinada e tinha vencido uma “cópia” da Suiça. Lembram ?
O fato da Croácia ter jogado melhor todo o primeiro e parte da etapa final foi, digamos, citado de passagem.
Foram poucos que disseram que a Croácia conseguiria vôos mais altos no Mundial que se aproximava.
Agora, todos sabem que os capítulos seguintes foram bem diferentes, né?
O treinador Zlatko Dalic, 51 anos, ainda não completou um ano à frente da seleção.Na época, era muito difícil a situação da Croácia nas Eliminatórias.
Nem o mais apaixonado torcedor croata considera Dalic um novo “Guardiola” .
O presidente da Federação Croata, Davor Suker (artilheiro da Copa 98) dizia que Dalic ” sabe tirar o melhor de cada um” .
Os croatas já passaram por tres prorrogações e series de penalidades.
O craque do time (Modric) exausto e com dores no joelho seguiu no jogo até surgir o gol da classificação. Outros jogadores doloridos, esgotados, rejeitaram substituições e boa parte da opinião pública enalteceu o “coração do time”.
O país tem 4 milhões de habitantes e sabe o que é viver na efervecência. E tem motivos para se sentir orgulhoso da sua seleção.
Esse Mundial revelou mais uma vez que no futebol ( e na vida?) não há receita única, definitiva.
Opinião certa ou errada …é aceitável.
Só não vale esquecer.

comments

Fonte: UOL

comentários

| Rádio Guarujá AM 1550 kHz'); }
Estúdio Ao Vivo