14 de maro de 2018 às 08:50

Stephen Hawking criou fórmulas sobre futebol e provocou Suárez: "Bailarina"

Nesta quarta-feira (14), o britânico Stephen Hawking, um dos maiores físicos da geração, morreu aos 76 anos em Cambridge, no Reino Unido, vítima de complicações da esclerose lateral amiotrófica, doen...

Crédito:Anthony Devlin/PA via AP

Anthony Devlin/PA via AP

Stephen Hawking morreu nesta quarta-feira

Nesta quarta-feira (14), o britânico Stephen Hawking, um dos maiores físicos da geração, morreu aos 76 anos em Cambridge, no Reino Unido, vítima de complicações da esclerose lateral amiotrófica, doença degenerativa com a qual conviveu desde a juventude. Entre as inúmeras contribuições que o cientista deu, estão a "teoria do pênalti perfeito" e uma fórmula que tentava ajudar a Inglaterra a ser campeã do mundo – e que terminou com alfinetada a Luiz Suárez.

Depois de acumular dados, Hawking chegou à conclusão de que 84% dos pênaltis cobrados altos e no canto entram, o que torna esse tipo de cobrança a mais eficiente do futebol. Além disso, chegou à conclusão de que não existem diferenças significativas no índice de conversão de destros e canhotos.

Além disso, Hawking se divertiu ao revelar que seus dados mostraram que calvos e ruivos costumam convertem mais pênaltis que seus colegas.

"Esse seguirá sendo um dos grandes mistérios da ciência", brincou.

Por meio do acúmulo de dados, Hawking também tentou criar uma fórmula para ajudar a Inglaterra a ser campeã da Copa do Mundo de 2014, disputada no Brasil. No entanto, a seleção somou apenas um ponto na competição e não passou da fase de grupos, ficando atrás de Costa Rica, Uruguai e Itália.

Entre os elementos estudados por Hawking na ocasião, estavam clima e atitude.

"Um aumento de cinco graus reduz a chance de vitória em 59%, e temos o dobro de chances se jogarmos a uma altitude de menos de quinhentos metros em relação ao nível do mar", explicou.

Além disso, os estudos de Hawking mostraram que a Inglaterra se dava melhor quando jogava no 4-3-3 e quando usava seu uniforme vermelho.

Foi na formulação desta teoria que Hawking provocou Suárez, chamando o astro da seleção uruguaia de "bailarina". No confronto entre as duas seleções, o astro fez o gol que decretou a eliminação da Inglaterra da competição.

"Precisamos de um árbitro europeu. Eles são mais empáticos com o futebol inglês do que com bailarinas como Luis Suárez", disparou.

A relação de Hawking com o esporte extrapolou o futebol. O britânico praticou remo na Universidade de Oxford enquanto estudava física e participou de um espetáculo baseado em ciência e astronomia na abertura dos Jogos Paralímpicos de Londres, em 2012.

Fonte: UOL

comentários

| Rádio Guarujá AM 1550 kHz'); }
Estúdio Ao Vivo